revirando o baú

A Charada Azul

16/10/2017

Uma vida resumida em Trabalho de Conclusão de Curso, estágios, mudanças, noivado e um escritório novo para o Blog. Aos poucos vou organizado tudo e, tentando estar mais presente por aqui.

Para suprir esse ausência, venho trazer uma resenha sobre um livro bastante interessante, intitulado "Charada Azul" do escritor Vinicius Ribeiro publicado pela nossa editora parceira, Kiron. 
Título: Charada Azul / Autor: Vinicius Ribeiro / Editora: Kiron / Páginas: 140 / Ano: 2016 / Comprar: Link.

Sinopse: "Charada Azul é o relato das desventuras psicodélicas de um grupo de amigos que, em seus conflitos pessoais, buscam mais do que sobreviver em uma cidade grande em meio ao caos da violência doméstica e urbana, desamparados pela segregação social e discriminação racial, enfrentando problemas que acometem os jovens de todas as cidades brasileiras, mas ambientada aqui nas noites soturnas do poeta Mário Gomes e de sua Fortaleza alencarina, uma Fortaleza de praias e festas, porém também opressora e desigual, cheia de riscos e belezas, a um só tempo moderna e provinciana; mais do que apenas sobreviver, o que os personagens buscam é aceitação, amor, prazer, redenção e uma reconciliação com seus pais, seus medos, seus traumas infantis, e nesse contexto a preocupação com o futuro, com a própria imagem, o abuso com as drogas, a entrega e o abandono. Influenciado pela literatura Beat, o autor narra uma viagem tridimensional e sem preconceitos sobre a realidade da vida de pessoas em Fortaleza, no Brasil e ao redor do mundo que querem alcançar a liberdade e se transcender; é também sobre a interminável guerra de repressão às drogas, movida por um jogo de interesses que vitimiza a população pobre, negra e periférica."

A trama: Em meio as nossas escolhas literárias sempre damos prioridades a temas que nos convêm e acabamos deixando passar livros e autores que podem agregar em nossas vidas de alguma forma.

Poderia ter sido assim com "Charada Azul", pois a temática sobre drogas e viagens psicodélicas nunca me chamará atenção, mas ao conclui-lo vi que era diferente.

O mesmo retrata a vida de um grupo de amigos, singulares, jovens e atraentes, que em comum encontra nas drogas o seu refúgio e, o que poderia ser apenas a decadência de um grupo de viciados em Fortaleza, nos apresenta pessoas que tentam apagar as violências do passado e o caos interior. É um livro político, cultural e social.

Personagens: Desta vez escolhi falar dos personagens como um todo, pois, gostei da construção de cada um, assim como seus respectivos nomes: Icarus; Ofélia; Amaro; Acádia; Malcom; Tâmara; Mônica e Eduardo. 

Em algumas páginas, nas notas de rodapé você poderia saber o motivo e a história por trás de cada nome. Algo que achei muito interessante. 

Quotes: "Deixei de ser dono do meu ser...eu era muito mais que meros efeitos, ou marionete de um ventríloquo desvairado, eu era parte do todo."

"Em resumo, fugíamos. E na fuga nos encontrávamos. Queríamos ser salvos, mas não antes de nos destruirmos um pouco - E a quem mais fazíamos mal senão a nós mesmos? Ajudávamos uns ao outros, conquanto no foro íntimo nos infligíssemos crueldades inigualáveis. Não era falta de amor próprio. Era o excesso desse, embora em sua versão distorcida, transfigurada e turva." 

"Ele cuidava de mim, eu cuidava dele. Éramos irmãos sem obrigação sanguínea; éramos namorados sem o sexo ou contato íntimo; éramos cúmplices de um assassinato sem a existência de um cadáver. Partilhávamos de um bem comum: a camaradagem, a amizade."

O autor: "Vinicius Santos de Mattos Ribeiro nasceu em Fortaleza, no ano de 1990. Escritor, professor, pesquisador e poeta, tem se destacado em todas as áreas que atua. Com 20 anos teve sua estreia como escritor com a publicação de seu primeiro livro Fúcsias e outros contos, o qual foi premiado na categoria Melhor Livro de Contos Moreira Campos em concurso promovido pela Secretaria do Estado do Ceará. Charada Azul, seu segundo livro, vem a público financiado por amigos, familiares, e pessoas ao redor do mundo através de uma plataforma de financiamento coletivo, administrada pelo site Catarse."

Gostei bastante da escrita do Vinicus, uma linguagem bastante rica, cheia de referências culturais, sobre livros, filmes e músicas.

Espero que tenham gostado da resenha!




Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário