revirando o baú

Me Olha, Me Olha de Novo

15/08/2017

 
Título: Me Olha, Me Olha de Novo / Autora: Michelle Souza / Editora: Kiron / Páginas: 212 / Ano: 217 / Comprar: Livraria Kiron.

Sinopse: “Dividida entre as próprias confusões sentimentais, segredos de um relacionamento frustrado e grandes perdas. É em Fred que Jennyfer encontra o conforto e a calmaria que tanto precisa, embora tenha dúvidas diante das oscilações comportamentais que ele demonstra, seus segredos e até mesmo sobre sua sexualidade. Seu coração à diz para tomar um caminho, mas a consciência a manda tomar outro....Ela teme que a confusão de sentimentos possa traí-la novamente. Seria mais uma peça pregada por sua mente vagante? Como ela teria certeza do que sente depois da rejeição do passado? Agora Jennyfer teria que entender o que realmente seu coração queria para poder viver um amor. Me olha, Me Olha de Novo vai mostrar um romance que vai muito além do comum, que busca quebra de tabus e nos ensina sobre sexualidade.”

A trama: “Me Olha, Me Olha de Novo” retrata a vida de Jennyfer Morgan, uma jovem sonhadora, com uma carreira de atriz em ascensão, inteligente, atraente e talentosa, algo que poderia levar a diversos caminhos. Entretanto, feridas abrem, estacam e se cicatrizam, fazendo sempre lembrar que há um motivo e alguém que as causaram, algo que deixava Jennyfer em um estado frágil e delicado, impedindo a de seguir em frente, se entregar, se permitir.

No meio desse caminho surgem pessoas que podem amenizar um pouquinho desse sofrimento, nesse caso, Fred. Atencioso, responsável cuida da Jennyfer como ninguém, porém, ao mesmo tempo enche sua cabecinha de dúvidas. É difícil saber o que Fred quer, o que sente, o que é…

O enredo é cheio de assuntos bastante atuais, que merecem uma atenção especial. Livro que nos ensina sobre tolerância, amor, amizade, dor, perdas, força e superação. Há reviravoltas que proporcionam reflexões, demonstram que entre o certo e o errado existe uma linha tênue permeada por dúvidas que cega e impede de tomar novos rumos.
Personagem principal: Admiro os personagens que conheço, reflito, cresço e transporto para ambientes junto a eles. Porém, com Jennyfer foi um pouquinho diferente, foi além, foi empatia. Ela é alguém que queria tornar amiga, brigar, dar conselhos e chorar junto.

Confesso que teve momentos em que esperei um maior desvencilhamento dos momentos ruins da personagem, já que sempre voltava as mágoas do passado e fica martirizando por isso. Todavia, nos capítulos finais, você percebe o seu amadurecimento e isso é bastante especial e bonito de se vê!

Personagem secundário: Bem, objetivo é falar dos personagens secundários, mas me atentarei ao Fred, que sem dúvidas é um dos meus favoritos. Sabe aqueles que cativam nas primeiras páginas? Fred é um deles!

Gosto do modo que age, cuida, compadece, respeita e vive. Apesar do personagem a princípio ser apresentando de forma misteriosa, foi me ganhando aos poucos.

De modo geral, tanto Fred como os demais personagens são bem construídos, exceto por um personagem do passado da vida de Jennyfer, acho que seria interessante que ele fosse trabalho desde os primeiros capítulos, pois, daria uma dimensão maior do que aconteceu anteriormente.

Quotes: Cá estou novamente viajando nos detalhes sutis e esquecendo do mundo”

“Predileto? Quem fala predileto? Eu não falo predileto e não conheço ninguém que fale! Ou ele é extremamente estranho, ou tenho que mudar meu círculo de amizades.”

“Porque estamos exatamente onde deveríamos. E, se você está aqui, hoje, comigo, comendo essas batatas, tomando refrigerante com a tevê ligada sem ao menos saber o que está passando, é porque tinha que ser assim. Talvez se você mudasse suas escolhas, você mudaria em alguns aspectos seus destino, mas talvez se arrependesse e no final, estaria aqui, no mesmo lugar, mas cheia de amargura.”

“Olhei em seus olhos e me senti acolhida. Fred sempre sabia o que dizer, quando dizer e como dizer!”
A autora: “Michelle Cristhina Prereira de Sousa, brasiliense, 25 anos, formada em jornalismo, adora fotografia, livros de romance e filmes de terror. A dualidade sempre foi aspecto forte em sua vida. Escreveu Me olha, Me Olha de Novo aos 16 anos e só agora teve coragem de mergulhar de cabeça nesse mundo da literatura, só que do outro lado, do lado de quem escreve! Por falar em cabeça, a dela vive à mil! Sua imaginação extremamente fértil e, apesar dos traços fortes em sua personalidade, é uma pessoa romântica, dedicada e sonhadora. Sempre escreveu crônicas e agora espera um dia poder publicar as milhares de histórias que transbordam por sua mente, se isso for possível…”

A escrita da Michelle é bem fluída, gostei da forma como detalha cada situação e sentimentos, uma riqueza que transporta para além das páginas. Quis chorar em vários momentos, juro.


Espero que tenham gostado da resenha!


Xoxo
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário