revirando o baú

Resenha: A Insustentável Leveza do Ser.

23/04/2016

Título: A Insustentável Leveza do Ser
Título Original: Nesnesitelná lehkost bytí

Autor: Milan Kundera

Editora: Companhia de Bolso/Companhia das Letras

Páginas: 307
Ano: 2008
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva/ Extra/Estante Virtual/Casas Bahia/Ponto Frio
Capa, Diagramação e Escrita: 4/5 


Sinopse:

"Lançado em 1982, este romance foi logo traduzido para mais de trinta línguas e editado em inúmeros países. Hoje, tantos anos depois de sua publicação, ele ocupa um lugar próprio na história das literaturas universais: é um livro em que o desenvolvimento dos enredos erótico-amorosos conjuga-se com extrema felicidade à descrição de um tempo histórico politicamente opressivo e à reflexão sobre a existência humana como um enigma que resiste à decifração - o que lhe dá um interesse sempre renovado.

Quatro personagens protagonizam essa história: Tereza e Tomas, Sabina e Franz. Por força de suas escolhas ou por interferência do acaso, cada um deles experimenta, à sua maneira, o peso insustentável que baliza a vida, esse permanente exercício de reconhecer a opressão e de tentar amenizá-la."

O livro:

A obra de Milan Kundera  é aquelas que te faz refletir em todos os aspectos. Desde pela verdade nua e crua da vida, até a outra vertente do amor, aquele amor que dói, machuca e é infiel.

Além dos conflitos na vida de Tereza, Tomas, Sabina e Franz, eles ainda tinha  que conviver com a tensão política que permeava na cidade de Praga durante os anos 60 e 70. Que servia de plano de fundo como as empreitadas que cada personagem se envolvia, onde Tereza esposa de Tomas, tinha que conviver com a insegurança e a assombração das traições de seu marido, onde tinha que aguentar cada parte, pois acreditava que não era boa suficiente, e não queria acabar como sua mãe, que morreu solitária e afundada na amargura de nunca ter sido amada o suficiente. Por outro lado, o tal infiel Tomas, sempre viveu na confusão de se entregar verdadeiramente a sua esposa, pois ele sempre precisava se ocupar de algo, todavia não conseguia ser desvencilhar de Tereza, por mais que buscasse outras, era ela há quem ele queria ter o sono compartilhado, era ela a quem ele quis estar junto quando encontrou ela em uma café, e se encantou com sua feição de acordo com as notas de Bethoven que tocava naquela noite.


Todavia, o autor aprofunda mais do que isso, confesso que se eu fosse detalhar tudo aqui, daria alguns posts a mais, tirando o exagero, acredito que o livro mereça tal coisa, pois cada parte dele possuí uma conjuntura de detalhes ricos que deve ser ressaltados. Ainda mais, quando Kundera poderia demasiadamente permanecer só nessa relação estreita conjugal, mas o mesmo prefere dar voz a cada personagem, e uma delas é Sabina, a amante de Tomas. Confesso que se fosse em outra situação, eu teria apenas burlado essa parte, pois se colocasse meus valores a frente, em hipótese nenhum teria compreendido seus argumentos sobre o "por quê trair", me perguntando até aonde iria os limites do amor e o fardo de carregar o peso de si mesmo.

Entretanto, é interessante como Kundera te fez ter um outro olhar, um olhar não só atento, mas sim sem julgamentos, onde você entende a visão de Sabina, e também essas relações conturbadas que paira em cada personagem. Esse é um daqueles livros que te faz refletir, de como nos "formamos" para nós mesmo enquanto singular e como nos "formamos" na concepção do outro.

Por último, dentre os personagens temos Franz, o amante de Sabina (oi?), que assim como Tereza tem que conviver a serem tratados como segunda opção. E tenta buscar dentro de si porque ainda permanece nessa relação,que nada lhe convêm, apenas migalhas de um sentimento que ele nem sabe nomear.

E assim, o livro traz toda essa perceptiva de como a vida permeia sobre o peso, lamúrias e entre o amor brando e voraz, onde você se depara com caminhos que te obrigam a fazer escolhas, onde é necessário se desvencilhar não só do orgulho, e saber se atentar e dar valor para as coisas e pessoas que o cerca. Afinal, as coisas ultimamente vem sendo passageiras demais.


"O amor não se manifesta pelo desejo de fazer amor (esse desejo se aplica a uma série inumerável de mulheres), mas pelo desejo do sono compartilhado (este desejo diz respeito a uma só mulher)."




“Quanto mais pesado o fardo, mais próxima da terra está a nossa vida, e mais ela é real e verdadeira. Por outro lado, a ausência total de fardo faz com que o ser humano se torne mais leve do que o ar, com que ele voe, se distancie da terra, do ser terrestre, faz com que ele se torne semi-real, que seus movimentos sejam tão livres quanto insignificantes. Então, o que escolher? O peso ou a leveza?”





“É um amor desinteressado: Tereza não quer nada de Karenin. Nem mesmo amor ela exige. Nunca precisou fazer as perguntas que atormentam os casais humanos: será que ela me ama? será que gosta mais de mim do que eu dela? terá gostado de alguém mais do que de mim? Todas essas perguntas que interrogam o amor, avaliam-no, investigam-no, examinam-no, talvez o destruam no instante em que nascem. Se somos incapazes de amar, talvez seja porque desejamos ser amados, quer dizer, queremos alguma coisa do outro (o amor), em vez de chegar a ele sem reivindicações, desejando apenas sua simples presença.”
Espero que tenham gostado 

Leituras para o mês de Maio-TBR

21/04/2016

Olá!
Hoje vim mostrar minhas escolhas literárias para o mês de Maio,já que Abril está no finalzinho e eu ainda preciso terminar a leitura de "A Menina Submersa" (em breve farei resenha aqui no blog).

Para isso, resolvi aderir a tag TBR (na qual consiste em um desafio, onde você mostra os livros que você se propõe a ler no respectivo mês) e depois de pensar muito eu escolhi sete títulos,e espero de verdade que eu consiga ler todos (sério!).



Dentre minhas escolhas está Jane Austen (os livros não estão na ordem de prioridade de leitura).Comprei ele ano passado na Black Friday da Saraiva. 


Como essa edição possuí três obras, pretendo ler uma por mês, então o primeiro será Mansfield Park.


Minha próxima escolha foi Scott Pilgrim, não tenho costume de ler histórias em quadrinhos, porém esse livro parece ser bem interessante (esse foi indicação do meu namorado  ).




Também escolhi dar início a Saga Encantadas, na qual a Maria Paula já fez resenha do primeiro livro (Veneno), para ler só clicar aqui.


Para o mês de Maio, escolhi o primeiro e o segundo livro, já o terceiro pretendo ler em Junho.


A outra escolha é o livro Primeiras Impressões da escritora Laís Rodrigues (parceira aqui do blog).Já era para ter lido ele há um tempinho, entretanto, acabei me enrolando com outras coisas e acabei adiando.Agora tudo indica que ele será o primeiro da minha lista!




E por último (ou não) pretendo ainda ler  "O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares" e "Depois de você".

Assim que for terminando cada leitura já posto a resenha aqui no blog, e depois faço um balanço se esse método deu certo ou não.

P.s: Se a timidez me permitir, pretendo futuramente fazer a TBR em vídeo (mas,quem sabe).

Espero que tenham gostado!

Saga Encantadas: Livro Veneno

18/04/2016

Olá, a resenha de hoje foi feita pela Maria Paula (nossa colaboradora), na qual ela nos contou um pouco do que achou do livro Veneno da Saga Encantadas, da escritora Sarah Pinborough.



Sinopse:
"Sexy, sarcástico e de prender a respiração!
Para os fãs de Once Upon a Time e Grimm, Veneno é a prova de que contos de fadas são para adultos! Não existe Felizes para sempre! Você já pensou que uma rainha má tem seus motivos para agir como tal? E que princesas podem ser extremamente mimadas? E que príncipes não são encantados e reinos distantes também têm problemas reais? Então este livro é para você! Em Veneno, a autora Sarah Pinborough reconta a história de Branca de Neve de maneira sarcástica, madura e sem rodeios. Todos os personagens que nos cativaram por anos estão lá, mas seriam eles tão tolos quanto aparentam? Acompanhe a história de Branca de Neve e seu embate com a Rainha, sua madrasta. Você vai entender por que nem todos são só bons ou maus e que talvez o que seria um final feliz pode se tornar o pior dos pesadelos! Veneno é o primeiro livro da trilogia Encantadas, e já é um best-seller inglês. Sarah Pinborough coloca os contos de fadas de ponta-cabeça e narra histórias surpreendentes que a Disney jamais ousaria contar. Com um realismo cínico e cenas fortes, o leitor será levado a questionar, finalmente, quem são os mocinhos e quem são os vilões dos livros de fantasia!"

O livro:
A impressão inicial um que tive desse livro foi a de que o conteúdo seria "fraco", pois achei que demorou um pouco para começar a se tornar interessante para mim. Entretanto, consegui focar a minha atenção e querer cada vez mais ler para saber qual seria o desfecho, pois a partir de um ponto a história começar a ficar diferente daquela dos contos de fadas que conhecemos tão bem. As diferentes histórias começam a se cruzar (nos deparamos com a história da Cinderela, Aladdin e também com a avó da madrasta, que  é a mesma bruxa da história de João e Maria) e fazem com que o leitor reveja suas expectativas e conceitos, onde Branca de Neve não é apenas aquela princesa amorosa, e sua personalidade e qualidades são incrementadas com coragem, sede de aventura e uma desenvoltura para agir de acordo com que é esperado para um homem, e não a uma mulher, ainda mais uma princesa!



O livro é envolto em diversas traições, começando a partir do momento em que ao receber do gênio um objeto mágico que promete dar felicidade a quem  o tivesse, a madrasta o dá a Branca, mas o que ela não esperava era que o mesmo estivesse enfeitiçado, e que poderia ocasionar na morte da princesa, se criada não o tivesse o usado antes. Com a saída do pai de Branca para a guerra a madrasta estava então cuidando de um reino  em que todos a causavam de tentar matar a princesa por causa desse episódio, deixando cada vez mais farta de toda essa situação.



Após tanto esforço investido para domar Branca, a madrasta parte para um solução mais drástica, mata-la. Essa parte continua como a história conhecida, onde o caçador se depara com a beleza e a bondade da garota e leva para a madrasta o coração de um animal, diferenciando-se apenas pelo o adultério que ambos comete, coisa que Branca acabou descobrindo.



Após todas as reviravoltas e a tomada de conhecimento que a madrasta teve de que Branca estava viva, a mesma teve ajuda de sua avó para tentar acabar de vez com a princesa, e  mais uma vez volta para o ponto chave, onde Branca está vivendo com anões e a bruxa má lhe entrega a maça enfeitiçada. Após morde-la, a princesa entra em um estado de  inconsciência.



Os anões constroem então um caixão de vidro para ela e a levam para uma colina, de tal forma que dê para cuidar dela em um lugar mais reservado.



Como se não bastassem o trabalho de ficarem revezando para cuidar dela ainda precisam trabalhar nas minas  para se sustentarem. Com o passar dos dias, acabam se deparando com um príncipe perdido pelas redondezas, que ao se deparar com Branca, começa a ajudar os anões a cuidar dela, e aos poucos vai se apaixonado pela moça em um caixão de vidro.



Esse é o ponto em que eu paro de falar sobre o livro e deixo aqui minha indicação para o lerem, pois o encontro de Branca e do príncipe vai muito além do que um despertar pelo amor verdadeiro, e sim mostra o lado obscuro de uma decepção amorosa também.

Pois não existem finais felizes.

Veneno
Autor: Sarah Pinborough
Editora: Única
Gênero: Literatura Estrangeira
Ano: 2013
Páginas: 224
ISBN-13: 9788567028002

-Compramos o box por R$ 9,90 em um promoção do Submarino-

Resenha: Maria Paula
Fotos: Antônia Franciele

Sorteio de marcadores!

14/04/2016

Como já havíamos anunciado no nosso Instagram @fotografe1livro, onde falei um pouquinho da nossa parceria com a loja @suadesigneria, que confecciona marcadores personalizados além de cartão de visitas. A loja possuí todo um acervo de catálogos com diversos modelos, vale super a pena conferir.



E para nossa alegria, ao selarmos essa parceria, agora todos meses teremos novidades dela por aqui,todavia, nada disso seria possível se não fosse pelas visitas e carinho que eu recebo de vocês, então como uma forma de retribuir estarei sorteado cinco marcadores, para isso basta seguir as regrinhas abaixo:

⦁ Seguir os perfis @fotografe1livro e a @suadesigneria;

⦁ Marcar 3 amigos nos comentários (pode comentar quantas vezes quiser,desde que não marque lojas,perfis de famosos e fakes).

O resultado sairá dia 14/05 lá no Instagram! 


Para quem tiver interesse em saber um pouco mais sobre a loja, e só clicar aqui Ó, que você terá todas informações ♡


Esse é o primeiro sorteio de muitos que ainda virão, então se você não segue nosso perfil no Instagram deixo aqui meu convite para que você nos acompanhe, sempre estamos por lá postando novidades a respeitos de dicas literárias e parcerias.

Espero que gostem,e boa sorte à todos!

Mariposa-Asas que mudaram a direção do vento.

09/04/2016



Sinopse:

"Jogos de poder, política e corrupção se cruzam com uma história de amor. Um jovem senador brasileiro, Nicolas, se vê rodeado de grandes mistérios a partir do momento em que uma estranha mulher invade sua casa e lhe dá pistas para incriminar seu rival político. Enquanto se envolve de uma forma apaixonante com esta mulher, de codinome Mariposa, Nicolas tenta desvendar os segredos de uma organização, invisível aos olhos da sociedade, mas com grande poder de influência na política do país."



O livro:

A história permeia no ano de 2020 sobre a vida do senador Nicolas. O mesmo sempre tentava se desvencilhar da política corrupta que o cercava, principalmente quando provinha do seu então inimigo Brassel, responsável em falsificar remédios e desviar verbas que antes era para serem destinadas a saúde e educação, porém  acabava nas mãos de lobistas, assim causando vários rombos nos cofres públicos.

" Traumas nem sempre são ruins, principalmente quando nos salvam de cativeiros interiores, revelando brechas emocionais até então desconhecidas."


Porém, infelizmente era difícil a população perceber tais deteriorações da política, não que isso não fosse evidente, mas há todo um jogo de estratégias e promessas que culminam em falsas esperanças e o oferecimento  de obras (inacabadas) acabam preenchendo  essas lacunas.


"Quem construiu o Senado sabia que era preciso levar a sensibilidade e graça para um lugar marcado por inimizades e desavenças. Somente assim se harmonizariam as forças que lutariam entre si."


Assim, ao Nicolas formular acusações contra Brassel, ele vê toda sua vida mudar, desde de tentativas de homicídio contra ele, até a entrada nada esperada de uma mulher misteriosa na sua vida. Mariposa!



Ela venho não só para protege-lo, e sim também para ajuda-lo a reunir provas que o ajude incriminar Brassel por todos os seus atos corruptos, porém isso também foi propício para crescer um amor entre os dois. Seria tudo mais fácil, entretanto Nicolas não sabia quase nada sobre ela, não sabia sobre as formas do seu rosto, da sua vida e  muito menos se Mariposa era realmente seu nome verdadeiro.

-Por que não me desenha agora?
-Eu não conseguiria.
-E por que não?
-Não conseguiria ficar tanto tempo sem te tocar.



Vemos também o Senador oscilar sob momentos bons e ruins, crises sobre sua atuação enquanto político, questionando se realmente deveria continuar nesse meio.

"Amoras são como política. Negras por fora, e doces por dentro."

E se realmente poderia confiar em quem o cercava, ele também teve que se reinventar e se isolar, sentir um pouco sobre o que é exclusão do resto do mundo para compreender que não só sua vida precisava mudar, e sim também o resto das pessoas que estavam a sua volta, na qual deveriam ser detentoras do poder assim como os políticos, valendo assim o nome da justiça e da democracia.



Minha opinião:

Conhecia a Patrícia Baikal no Leia Mulheres-DF (impressionante o quanto esse evento só me trouxe coisas boas).E ao ler o seu livro, me deparei com uma história bastante envolvente (quase o engoli praticamente rsrs), o que é bastante interessante, já que buscar temas que permeia pela politica nunca foi o meu forte, mas Mariposa me permitiu um olhar mais atento para as situações que me cercava, e por mais que a história se passe no ano 2020, é incrível como se encaixa perfeitamente na situação que o nosso país está vivenciando atualmente (sem tomar um lado partidário  é claro, e sim de modo geral).

A escrita também me permitiu partilhar dos mesmos sentimentos de Nicolas, quando sente o peso nas costas ao ver tamanhas responsabilidades sob elas, e ao mesmo tempo se sentir impotente por não poder fazer nada.

Assim como também em sentir-se acuado por acreditar que não pode confiar em ninguém. Todavia, houve momentos singelos, onde é perceptível que há sim pessoas que prezam e acreditam nele, que também há pessoas que por mais isoladas do mundo e de toda tecnologia e estrutura, ainda possuem o proposito de viverem felizes e partilharem de uma política  e leis justas que assegurem a melhor convivência de todos.

Uptade:

Assim como o livro da Patrícia Colmenero "Porque até sentirei fome" que resenhei neste post aqui, o livro da Patrícia Baikal "Mariposa" também será debatido no Leia Mulheres, dia 14 de Abril às 19:30 na Livraria Cultura do CasaPark-DF. Estão todos convidados!

Espero que gostem ♡



Título: Mariposa, Asas que mudaram a direção do vento
Autor (a) Nacional: Patrícia Baikal
Editora: Editora Kiron
Ano: 2014
Páginas: 293


Pesquisa de público-Fotografe um Livro.

07/04/2016

Image Map

Olá!

Hoje gostaríamos de pedir a colaboração de vocês. Aos poucos o blog está crescendo e isso é muito gratificante para nós, pois não imaginava que o simples gesto de escrever sobre algo que gostamos de alguma forma pode tocar e instigar as pessoas, seja através de um livro, ou as indicações de lugares que fazemos por meio de fotografias.

Então para que possamos cada vez mais melhorar nosso conteúdo, gostaríamos de conhecer um pouco mais sobre vocês, quantos anos...onde mora, entre outras perguntas que vai ajudar muito para que nós possamos promover conteúdos de qualidade, assim como também meios que agrade um pouquinho cada um.


Quer participar?

Só clicar na imagem abaixo que você será redirecionado para o nosso questionário. É rapidinho!



Desde de já agradeço a participação de todos ♡

Leia um Nacional

02/04/2016

Hoje não tem resenha especificamente, e sim indicações literárias de livros nacionais.

Admito, ultimamente venho consumindo muitos livros estrangeiros, meu amor por Jane Austen está aí para comprovar, mas aos poucos estou mudando essa concepção, e fiquei bem feliz ao perceber que já possuo um número considerável  de livros de escritores brasileiros. Então, nada melhor do que indica-los por aqui.


Existe um projeto que se chama "Leia um Nacional", onde o mesmo tem como intuito divulgar e incentivar a literatura brasileira.

Gostei muito da iniciativa, pois é uma forma de valorizar o que é "nosso", além de dar espaço para talentos que muitas vezes não recebe a devida credibilidade por causa da concorrência desfavorável no mercado editorial.

Esses são alguns títulos que possuo:



Eu me chamo Antônio (primeiro e segundo livro) do autor Pedro Gabriel, que sem dúvida é um dos meus escritores favoritos!


Mariposa  (minha leitura atual)  da escritora Patrícia Baikal, uma das nossas parceiras do blog. Em breve teremos resenha.


Mea Culpa, o adquiri na Bienal aqui de Brasília que ocorreu em 2012 (já está na hora de ter outra, né?). Obra do escritor Doca Street.


 A Parede Branca do Meu Quarto, livro da nossa também parceira Marina Oliveira, já fiz post sobre ele aqui.


 A Volúpia dos Anjos, do escritor Mercedes Cavalcanti (desculpa sociedade, mas não entendi quase nada desse livro).


Primeiras Impressões,da escritora Laís Rodrigues (também nossa parceira ♡).


Mentes Inquietas, livro da escritora Ana Beatriz, o recomendo para todos que são estudantes de Psicologia ou possuí interesse pela área.

Então é isso, espero que gostem das indicações ♡