revirando o baú

Afinal,o que nós queremos?

09/03/2016


É tão difícil dizer o que quero, quanto o que eu não quero...sempre fui instável demais, mas de uns tempos para cá venho discernindo bem minhas ideias, me posicionando mais, e em consequência amadurecendo bem com isso. 

Sempre fui uma pessoa acomodada, mesmo tendo senso crítico para algumas coisas, ainda assim preferia ficar calada, como se minha opinião não contasse, como se não fizesse diferença alguma. 

Entretanto, todavia, sei que hoje vale, e muito, não que eu precise necessariamente de alguém para me ouvir, mas só o fato de você dar voz pra si mesma ,acredite, já faz um grande  diferencial.  


E afinal Antônia, o que você quer? 

Quero ser livre do comodismo na qual meu pai ou meu futuro marido deve ser o único provedor do sustento da família (o que boa parte da sua vida você é educada a pensar assim). 

Sabe aquela louça suja que muitos dizem para lavarmos quando acham que estamos de "mi mi mi " quando reivindicamos nossos direitos? Então, vamos lavar juntos, porque que diz que cabe só a mulher ser realizadora de trabalhos domésticos? 

Quero também que enquanto profissional da Psicologia, ou qualquer outro trabalho que seja, eu receba o mesmo tratamento que um homem, pois tenho certeza que a nossa proficiência será a mesma, então por quê receber menos por isso?  

Quero que a educação dos meus futuros filhos seja algo em conjunto, e que não paire somente a mim, como se  fosse responsabilidade minha já que eu deveria ter um instinto materno que dita como eu deva me portar e educar eles. 

Que eu seja livre pra enrolar meu cabelo, ou alisa-lo quando quiser, porque isso não faz de mim ser menos negra ou mais. 

Quero reclamar quando achar que é conveniente, como se isso não parecesse hipocrisia de uma mulher histérica que  reclama de uma opressão que pra você meu caro,nem se quer existe, mas existe sim.

um tempo atrás poderia considerar tudo isso uma utopia, me perguntando porque estou indo contra a maré, mas agradeço de coração uma professora em uma das aulas da disciplina de Ética  que me ensinou o real significado da palavra utópico  ,que pra muitos é meramente algo impossível e imaginável, mas na verdade só é algo que alguém não tentou fazer, todavia, é possível sim.Então, quanto tudo aquilo que sinalizei lá atrás eu tento, tento esperando que deixe de ser só um termo e vire verdade. 



Comentários
0 Comentários